Servidores da Rede gerenciada pela FHS irão parar no dia 1º de outubro

0

Os servidores celetistas que trabalham na Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), representados pelo Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), decidiram paralisar suas atividades, por 24 horas, no dia 1º de outubro, como forma de protesto pela falta de avanço nas negociações de alguns direitos da categoria como implantação definitiva do Plano de Emprego e Remuneração (PER), Novo Acordo Coletivo e Reajuste Salarial. No dia, haverá ainda ato em frente ao Hospital Regional Nossa Senhora do Socorro, das 7h às 9 horas.

A deliberação foi tomada durante assembleia, nessa quinta-feira, 19, realizada no Hospital de Socorro, e que foi acompanhada pelo diretor de Recursos Humanos da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), Ives Deda. Na ocasião, além de assuntos internos, foi abordada a pauta da situação do não cumprimento do PER, aprovado há anos, mas que não foi implantado na prática. O Acordo Coletivo está sem negociação, assim como o reajuste do salário, que há 6 anos não acontece.

Para piorar o cenário dos servidores, a FHS está propondo reduzir a quantidade de horas extras dos trabalhadores. “Imagine um trabalhador há mais de seis anos não ter reajuste salarial, há 8 sem Acordo Coletivo e há cinco anos com o Plano de Emprego e Remuneração parado. Isto é inadmissível! Apresentamos aos servidores todas as possibilidades de tomada decisão e chegamos ao acordo de paralisar as atividades no dia 1° de outubro”, explicou o gerente do Sintasa, Janderson Alves.

Na próxima sexta-feira, 27, às 9 horas, atendendo a solicitação do Sintasa, o Ministério Público do Trabalho irá mediar uma audiência entre o Sintasa e a FHS a fim de que haja avanço no Acordo Coletivo de Trabalho.

Deixe Uma Resposta