Sergipe inicia Curso de Investigação de Homicídios e Drogas Ilegais promovido pela Senasp

0

Aconteceu na manhã desta segunda-feira, 16, a abertura da 17ª edição do Curso de Investigação de Homicídios e Drogas Ilegais na Academia de Polícia Civil de Sergipe (Acadepol). Na oportunidade, gestores, alunos e instrutores comprenderam a importância da capacitação promovida pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), no referente à realização de investigações envolvendo os dois tipos penais.

A delegada Viviane Pessoa, coordenadora das Delegacias da Capital (Copcal), destacou a importância do curso na qualificação profissional dos policiais civis. “Nosso foco prioritário no momento é a redução contínua no número de homicídios dolosos, então qualquer ação que tenha o homicídio como tema é importante abordarmos, desde a formação do policial à análise de índices ou reforço no policiamento preventivo. A Senasp tem investido bastante na formação dos profissionais de Segurança Pública e temos sentido isso com a quantidade de cursos que a Acadepol tem sediado. É o momento de aprender ainda mais, de qualificar o nosso trabalho e de observar a relação direta que existe entre registros de homicídios e tráfico de drogas”, destacou a delegada que na oportunidade representou a SSP.

O curso conta com cerca de 60 alunos, entre delegados, escrivães e agentes. As atividades seguem até o dia 27 deste mês com aulas expositivas que envolvem diversos assuntos relacionados ao tema. Para o professor José Maria Pereira da Nóbrega Júnior, doutor em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco e um dos instrutores do curso, mencionou os aspectos mais importantes da disciplina que pretende ministrar. “Irei desenvolver como temática o panorama de homicídios no Brasil. Não apenas a dinâmica dos números, dos dados estatísticos dos homicídios ou mortes por agressão no Brasil, mas também analisar as possíveis causas do crescimento dos homicídios nos estados, inclusive por meio de instituições coercitivas. O homicídio como a principal violência sempre vai existir, a questão é o controle do problema. O controle desse delito é o grande desafio a ser colocado nessa exposição. É importante que o policial civil entenda a dinâmica do homicídio, as questões causais, os aspectos socioeconômicos, entre outros fatores”, explicou.

A agente Sandy Góes mencionou as expectativas que tem em relação à capacitação. “Como um todo, cada tipo de crime necessita de técnicas específicas de investigação. No caso do tráfico de drogas, são analisados os núcleos de atuação dentro do tráfico, então existem técnicas específicas. No meu caso, estudarei as técnicas de homicídios. Isso vai me ajudar a chegar em uma cena desse tipo de crime e saber como proceder, saber ler o laudo do especialista e saber como elucidar o delito. Estamos aqui para estudar e poder trocar experiências e para que possamos ser difusores de conhecimento também”, afirmou a aluna do curso.

O conteúdo programático da capacitação aborda dados sobre homicídios no Brasil, investigação criminal, técnicas de entrevista e interrogatório, violência doméstica contra a mulher,  técnicas e métodos ligados a drogas ilegais; além de situações de crianças e adolescentes vítimas, que no primeiro dia de curso já está presente no cronograma. A temática será abordada pela delegada Lara Schuster, do Departamento de Atendimento e Grupos Vulneráveis (DAGV).

“Estou muito feliz em participar desse curso. Estou há dez anos ocupando a Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima, então dividir um pouco com os colegas esse conhecimento que foi adquirido ao longo desse tempo é muito importante. É um bate papo, traremos uma aula expositiva com uma parte do material que foi previamente elaborado, mas a aula é sempre muito dinâmica, cada um traz a sua contribuição por meio dos questionamentos, das perguntas. Os casos são muito interessantes porque surge o debate. Esperamos que seja um ótimo curso e que traga benefícios a todos os participantes”, comentou a instrutora.

Formatação da Senasp

A coordenadora do curso em Sergipe, Sandra Mara de Santana Góis, explicou que a capacitação já veio formatada via Senasp destinada a policiais civis que trabalham nas áreas de homicídios e drogas ilegais. “Esse é um curso mais teórico, não é um curso com abordagem operacional, no entanto entendemos como sendo de suma importância para os policiais civis. Precisamos trazer a modernização para as salas de aula, para que haja uma transformação na maneira de atuar para que alcancemos resultados práticos mais efetivos. Metade dos alunos do curso hoje são recém chegados na instituição, profissionais que ingressaram na Polícia há menos de seis meses e estão buscando formas de conhecer e de agir”, enfatizou a também gerente de Recursos Humanos da Acadepol.

De acordo com o delegado João Batista Santos Júnior, diretor da Acadepol, a intenção é continuar investindo em treinamento e capacitação para os policiais civis, sobretudo para aqueles que mais recentemente chegaram à instituição. “Além dos cursos da Senasp, temos proporcionado aos nossos colegas momentos de troca de experiência idealizados pela Acadepol. Com essa interação e aprendizado, o resultado positivo é observado no trabaho da Polícia Civil junto à sociedade”, finalizou.

Fonte/SSP

Deixe Uma Resposta