Programa busca disseminar empreendedorismo nas escolas

0

Um programa desenvolvido pelo Sebrae pretende disseminar a cultura do empreendedorismo nas instituições de ensino públicas e particulares sergipanas. A proposta tem como foco os estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior e busca promover o desenvolvimento de competências empreendedoras e estimular a inserção desses alunos de forma sustentável no mercado de trabalho.

Composto por soluções específicas para cada nível educacional, o Educação Empreendedora busca, por meio de metodologias criativas, linguagem adequada e com exemplos que valorizam as realidades locais, mostrar que o empreendedorismo é um caminho viável a ser seguido por esses jovens e capaz de ajudá-los a modificar o ambiente em que estão inseridos.

Em Sergipe as ações já beneficiam os estudantes de ensino superior e do ensino técnico. A meta do Sebrae agora é disseminar os conteúdos aos estudantes dos ensinos fundamental e médio em diversas escolas sergipanas.

Buscando viabilizar a inclusão desses assuntos em sala de aula, a analista do Sebrae e gestora do Programa, Rosana Leite, deu início a uma série de visitas ás Secretarias Municipais de Educação para apresentar a  proposta aos gestores públicos, diretores e professores das escolas municipais. A meta do programa é atender 1800 alunos do ensino fundamental e outros 250 do ensino médio até o final de 2016.

Jovens Empreendedores

Em Cedro de São João, cidade localizada no Baixo São Francisco, os profissionais conheceram o curso ‘Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP)’, destinado aos alunos do Ensino Fundamental. Dividido em nove módulos e aplicado ao longo de todo o período escolar, a capacitação busca mostrar ao aluno que empreender é algo muito natural e por meio de atividades lúdicas o ensina a trabalhar em equipe e montar o próprio negócio.

“ Queremos estimular a criatividade e o pensamento crítico dos estudantes e nada melhor que o empreendedorismo para mostrar esse caminho. Os alunos são chamados a discutir questões como sustentabilidade, cooperação, planejamento e recebem auxílio para identificar uma oportunidade de negócio”.

A proposta foi bastante elogiada pela secretária de Educação do município, Cristiane Melo. “ É um modelo que prevê a formação continuada do aluno e com um novo viés, o que é fundamental para mostrar a importância do seu papel na sociedade”.

Já em São Francisco, também no Baixo São Francisco, a proposta foi apresentada a secretaria de Educação, Lenoísia Vieira, e a equipe do órgão. Segundo a gestora municipal, o programa é bastante atrativo e viável para ser aplicado nas escolas da região.

Assessoria do Sebrae

Deixe Uma Resposta