Presidente da Petrobrás afirma que três empresas estão interessadas em arrendar a Fafen

0

O presidente da Petrobras, Roberto Castello, disse hoje, 22, que três empresas demonstraram interesse no arrendamento da Fafen em Sergipe. Foi durante reunião com o governador Belivaldo Chagas (PSD) nesta sexta-feira, na sede da estatal, no Rio de Janeiro.

De acordo com Castello, a decisão inicial da estatal era vender a Fafen  em Sergipe pelo prejuízo anual de R$ 250 milhões, mas como não encontrou comprador foi decidida a sua hibernação, cujo valor cai para R$ 10 milhões mensais.

Segundo Belivaldo, ele vai trabalhar para viabilizar o sucesso do arrendamento, haja vista a necessidade de se manter a Fafen em operação não só pela dependência nacional de fertilizantes, mas pela manutenção de empregos, da cadeia produtiva e da arrecadação de ICMS para o Estado.

O deputado Laércio Oliveira (PP), que viabilizou a reunião, afirmou que deve ser considerada também a questão estratégica do Brasil continuar produzindo fertilizantes nitrogenados. Ressaltou a participação da Fafen na economia do estado e que a Petrobras reveja o fechamento até o arrendamento.

O senador Alessandro Vieira (PPS), que também participou da reunião, propôs que o governo Federal assuma a Fafen enquanto a Petrobras negocia com investidores, evitando, assim, a hibernação.

A reunião também foi acompanhada pelo secretário de Petróleo e Gás do Ministério de Minas e Energia, Márcio Felix, o deputado estadual José Sobral, o ex-governador Albano Franco e os secretários de estado José Augusto (Desenvolvimento Econômico) e José Sales Neto (Comunicação).

Com fábricas em Sergipe, em Laranjeiras, e na Bahia, em Camaçari, a Fafen tem potencial para empregar 1.500 trabalhadores e gerar mais de 5 mil empregos indiretos.  Em hibernação desde janeiro, as unidades eram responsáveis por 30% da produção de fertilizantes do País, que importa 70% dela a fim de abastecer a produção nacional de alimentos.

Deixe Uma Resposta