Ponto de vista

0

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, o sergipano Carlos Britto, criticou, no Jornal Nacional, o projeto que objetiva derrubar a decisão do STF. Disse que não se pode desconsiderar a vida pregressa de um candidato. “Um indivíduo fala por si, um parlamentar é porta voz do povo. A Constituição exige de um candidato que seja isento, que não tenha cometido improbidades administrativas. É atrevimento um político nessas condições postular uma candidatura para representar o povo”.

Deixe Uma Resposta