Podemos e Avante faz coligação com PMN

0

O pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) encerrou a sua convenção partidária no domingo, 5, ciente que a sua coligação teria nove partidos: PSD, PT, MDB, PCdoB, PP, DC (antigo PSDC), PHS, Podemos e Avante. E que haveria apenas uma chapinha para deputado estadual entre Podemos/Avante.

Inicialmente se fechou um entendimento de uma chapinha com Podemos, Avante, PSDC e PHS. Mas, depois, após protesto do PCdoB que também defendia chapinha, mas concordou com o chapão antes da definição da chapinha, ficou acordado que o PSDC e PHS iriam para o chapão e fariam chapinha para a Assembleia apenas Podemos e Avante.

Quando o PSD foi fechar a ata na segunda-feira, prazo final para registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), descobriu que o Podemos e Avante fecharam uma chapinha com PMN e Patriota para deputado federal e deputado estadual.

O problema é que o PMN tem candidato a governador, que é Milton Andrade. Em razão disso, o Podemos e Avante não vão poder estar na coligação majoritária de Belivaldo Chagas e, muito menos, fazer propaganda oficial para ele.

No programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão os candidatos do  Podemos e do Avante não vão poder pedir votos para Belivaldo, mesmo tendo definido em convenção que não vão se coligar nem apresentar candidato próprio a governador.

O Podemos é presidido em Sergipe pelo ex-secretário da Saúde e Inclusão Social, Zezinho Sobral, que é pré-candidato a deputado estadual. Já o Avante tem como presidente o ex-vereador de Aracaju, Valdir Santos, que é pré-candidato a deputado federal.

A coluna tem informações que o governador ficou muito chateado quando descobriu a manobra feita por esses dois partidos da sua base aliada que, inclusive, realizaram suas convenções dia 02 de agosto, bem antes do dia 05, que foi quando o partido de Belivaldo e a grande maioria dos aliados promoveram suas convenções.

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) percebeu essa antecipação da convenção do Podemos e Avante e alertou Belivaldo sobre isso. Pelo visto, foi em vão…

Na formação das coligações Belivaldo foi o pré-candidato a governador mais afetado por ações políticas de aliados, uma vez que além de não contar com Podemos e Avante na coligação chegou a perder os partidos aliados PDT e PRB, que foram para a oposição.

Trocando em miúdos, o que estamos vendo nesta eleição é que o projeto pessoal de dirigentes de partidos é mais importante que o projeto do agrupamento…

Deixe Uma Resposta