Pastor Roberto reitera preocupação com salários de servidores municipais

0

PastorMais uma vez o vereador Pastor Roberto Morais (SD) manifestou a preocupação com o atraso dos vencimentos dos servidores municipais na tribuna da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), durante pronunciamento desta quarta-feira, 12/08. “Peço a atenção dos nossos gestores para esse caso. Me parece não haver de forma concreta, um plano, uma política voltada para evitar atrasos nos vencimentos”, lamentou o parlamentar.

O Pastor Roberto lembrou ainda ter conhecimento do momento difícil que todo o País atravessa, mas ressalta que é preciso pensar mais nos servidores. “Eles são a alma da máquina pública. São eles quem mantém o sistema ativo, em funcionamento. Nada deveria ser mais importante nesse momento do que essa pauta. Temos que nos somar, independentemente de partido, para buscar uma solução para esse problema”, ressaltou.

O vereador disse ainda saber que em tempo oportuno chegará uma informação precisa à Casa Legislativa. E é exatamente isso que ele espera. “Estou voltado para esse assunto. Sejam professores, vigilantes, serventes… Principalmente aqueles que não estão de passagem no serviço público. Apelo pelos efetivos, que estão sempre buscando fazer o melhor no exercício da função. Esses não estão de passagem, como assessores e ocupantes de cargos comissionados”, argumentou Roberto.

Ainda sobre os servidores, o Pastor lembrou que existem pessoas sem perspectiva de crescimento na vida, que passarão todo o tempo na mesma função. “Muitos desses, por exemplo,ainda não têm condições de ter uma casa própria, vivem pagando aluguel. E sem receber os vencimentos nem o aluguel terão a chance de honrar”, continuou Roberto Morais.

Para o Pastor, não precisa ser das áreas da Contabilidade ou Administração para saber que esse atraso gera um efeito cascata e, cada vez que passa, tende, obviamente, a piorar. “Quando o servidor deixa de receber o salário, deixa de pagar suas contas e, consequentemente, outras pessoas são atingidas. Volto a repetir que nada neste momento deve ser mais importante do que essa questão”, enfatizou Roberto.

Da assessoria parlamentar

Deixe Uma Resposta