Orsse traz a “Noite de Ópera Italiana” ao Teatro Atheneu

0

Nessa quarta-feira, 26 de setembro, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse), sob a regência do maestro Guilherme Mannis, apresentará a “Noite de Ópera Italiana”. O concerto, inteiramente dedicado a árias e coros de óperas em língua italiana, contará com três convidados especiais: as sopranos Nalini Menezes e Verônica Santos, e o tenor italiano Sabino Martemucci. A apresentação também terá a participação do Coro Sinfônico da Orsse, sob a direção do maestro Daniel Freire. Os ingressos, a preços populares, estão disponíveis nas bilheterias do Teatro Atheneu. A Orsse é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura.

O concerto contará com famosos coros e árias do repertório operístico italiano, dentre os quais peças como “Va, pensiero” (Nabucco/Verdi), “E lucevan le stelle” (Tosca/Puccini), “Nessun dorma” (Turandot/Puccini), “Casta Diva” (Norma/Bellini), entre outros. Participarão ainda do concerto os alunos Irma Dantas (soprano), Jackson Trindade e Marcel Mitsuzawa (tenores), vencedores da I Audição para Jovens Cantores da Orquestra Sinfônica de Sergipe, realizada em parceria com o Conservatório de Música de Sergipe.

Sobre o concerto, o maestro Guilherme Mannis acredita ser um marco na produção da Orsse. “Trata-se de uma performance que trará ao nosso público um artista de renome internacional, como Sabino Martemucci, que prestigiará nossa prata da casa, com Nalini Menezes, Verônica Santos e nosso Coro Sinfônico, e que trará novos talentos do canto na região Nordeste do país. A seleção de repertório foi extremamente cuidadosa, e proporcionará àqueles que estiverem no Atheneu momentos muito especiais. Há recantos de nossa alma que só podem ser atingidos com o canto lírico, e sem dúvida, o concerto será de grande encantamento”.

Sobre os solistas

O tenor Sabino Martemucci é natural de Bari, Itália. Em 2005 graduou-se pelo Conservatório de Música E. R. Duni de Matera, pelo qual em 2011, recebeu o título de doutor em canto. Esteve sob a orientação vocal do tenor Luciano Pavarotti e do tenor Nicola Martinucci, com quem ainda hoje estuda. Tem se apresentado em conceituados teatros como o Teatro Alla Scala (Milano), o Teatro Massimo (Palermo), Teatro Petruzzelli (Bari) e em espaços de outros países da Europa, nos EUA e no Brasil. Dentre os trabalhos relevantes, constam em óperas como Le Nozze di Figaro, La Traviata, Madama Butterfly, La Boheme, Cavalleria Rusticana, Carmen, Pagliacci, entre outras. Ainda são destaques a Missa em Sol Maior, de F. Schubert, a Petite Messe Solenelle e Stabat Mater de Rossini, e os Requiem de Mozart e de Verdi. Esteve sob a regência de Claudio Abbado, C. Desderi, N. Paszkowski, C. Donadio, M. Zanini, O. Balan, B. Aprea, V. Clemente, etc.  Ao longo de sua carreira profissional conquistou prêmios em importantes concursos voltados à música vocal. Enquanto professor e doutor em canto, atualmente leciona canto lírico noConservatório P.I. Tchaikovsky de Nocera Terinese (CZ), pelo qual realiza masterclasses internacionais na Chiusi dela Verna (Arezzo) e no Campus Afam. Bem como vem ministrando masterclasses, voltados para formação do cantor lírico em países como França, Espanha, República Checa, Grécia, Tunísia, Portugal e Brasil.

A soprano Nalini Menezes é Bacharel em Música – Canto Lírico pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Em São Paulo estudou com as professoras Martha Herr, Andréa Kaiser e Marília Vargas. Tem sido solista de importantes repertórios frente a Orsse, entre os quais se destacam Carmina Burana e Fantasia Coral, de Beethoven, e os Concertos do Circuito Musica Brasilis em Aracaju, com solos de canções dos compositores Carlos Gomes e Pe. José Maurício Nunes Garcia.  Apresentou-se nos mais importantes teatros da cidade de São Paulo, tais como Theatro Municipal, Theatro São Pedro e Sala São Paulo. Integrou o Coro Acadêmico da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo sob a regência e preparação de Marcus Thadeu e Naomi Munakata. Também atua como orientadora vocal e regente coral, tendo orientado o Coro Jovem do Estado de Sergipe, o Coral da Reitoria da UNESP e outros. Atualmente é professora de Canto Lírico no Conservatório de Música de Sergipe.

 Já a soprano Verônica Santos é  graduada em Canto Lírico pela Escola de Música da UFBA e pós-graduada pela UNB. Como docente passou pelo Conservatório de Música Schubert; foi coordenadora e professora da Fundação Cultural de Juazeiro-Estado da Bahia, do curso de canto lírico, e professora substituta da Graduação em Canto lírico da escola de música da UFBA. Lecionou Canto/Técnica Vocal no SESC Bahia, onde também dirigiu espetáculos de dança e teatro. Desde 2011 é musicista da ORSSE como preparadora vocal do seu Coro Sinfônico. Como solista, destacam-se as participações na “Missa da Coroação” e na ópera “Le nozze di Figaro” (como a Condessa de Almaviva), de Mozart, na ópera “Il Tabarro” (como Giorgetta), de Puccini; Stabat Mater, de Pergolesi; Nona Sinfonia e Fantasia Coral, de Beethoven. Além destes, são destaques a orientação vocal e regência de corais, a participação em recitais de música de câmara e em projetos musicais como os desenvolvidos junto a Arena Cia de Artes, da qual é integrante-fundadora, Esteve sob a regência de Rosa Eugenia Vilas Boas, Lanfranco Marcelletti, Horst Schwebel, Pino Onnis, Russel Shelley (EUA) e dos maestros Daniel Nery e Guilherme Mannis.

Deixe Uma Resposta