João Daniel lamenta cortes na realização do Censo Agropecuário 201

0

O deputado federal João Daniel (PT/SE) alertou para os efeitos decorrentes da redução dos levantamentos feitos pelo Censo Agropecuário 2017, a ser realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa questão foi tema de audiência pública realizada, essa semana, na Comissão de Agricultura da Câmara, fruto de um requerimento do deputado João Daniel e outros parlamentares integrantes do Núcleo Agrário do PT na Câmara. “O governo federal quer fazer o Censo com menos de 30% do valor necessário. Nós acreditamos nos funcionários de carreira, nos técnicos, nos dirigentes do IBGE, na capacidade e na seriedade deles, porém, diminuir 70% dos recursos compromete essa qualidade”, observou, indagando sobre os questionários que o Censo vai aplicar e como se dará essa redução.

João Daniel destacou a importância do Censo Agropecuário, por fazer um levantamento da situação agropecuária do país. De acordo com o parlamentar, existem várias denúncias de que, por falta de recursos, ficariam sem ser pesquisados dados importantes, como a questão dos agrotóxicos, terras de estrangeiros, uso de recursos hídricos para irrigação, a identidade cultural das comunidades, entre outros. “Isso nos preocupa muito. Queremos um IBGE forte, um Censo forte, com todos os dados agropecuários, para que sejam implementadas as políticas públicas e sociais necessárias”, afirmou o deputado.

Durante a audiência pública na Comissão de Agricultura, os deputados ouviram as explicações técnicas do representante do órgão, principalmente no que diz respeito à extensão dos levantamentos. A informação é que havia previsão de investimentos da ordem de R$ 1,7 bilhão, que hoje está limitada a uma emenda parlamentar da ordem de R$ 500 milhões. João Daniel acrescentou que o IBGE um dos órgãos mais importantes para a orientação do planejamento das políticas públicas brasileiras. “E acredito que uma pesquisa abrangente e de qualidade ajuda na análise da situação da agricultura brasileira e permite que se tenha um retrato do que avançou no campo desde o último Censo, realizado no ano de 2006”.

Embora reconheça a responsabilidade dos técnicos do Instituto em fazer um estudo bem feito, apesar dos meios oferecidos, o deputado João Daniel falou do receio de que o viés político de um presidente do órgão, escolhido em uma situação de golpe, como está vivendo o Brasil, possa impedir que questões relevantes para a agricultura familiar, para os trabalhadores do campo e a sua forma de organização, para a agroecologia e para a saúde do trabalhador e dos consumidores possam ser deixadas de lado, pelo efetivo corte de recursos.

Dados importantes

Entre essas questões, o deputado João Daniel destacou a importância de o Censo Agropecuário levantar dados que permitam entender como está sendo o uso de agrotóxicos no Brasil, a ocorrência de doenças em trabalhadores e trabalhadoras do campo e consumidores dos alimentos produzidos. “Queremos ver respondido quais os tipos de agrotóxicos, as quantidades, as doenças por eles provocadas, os níveis de intoxicações ocorridas pelo seu uso e como esses produtos são comprados. O Brasil está cada vez mais consumindo produtos com veneno, sendo o Brasil, no mundo, o país que mais recorre a esta prática, inclusive com propostas de leis nesta Câmara. Queremos informações da agricultura familiar, dos produtores credenciados para a produção orgânica, a identidade cultural das comunidades quilombolas, indígenas, assentamentos, posseiros, ribeirinhos. Precisamos saber quanto à naturalidade dos proprietários de terra no Brasil, pois como foi dito na própria audiência 30% de nossas terras agriculturáveis já estão na mão de estrangeiros”, colocou.

Várias entidades têm se manifestado sobre esses cortes, entre elas o Sindicato Nacional do IBGE, Via Campesina e a Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), que, inclusive, emitiu nota externando preocupação nesse sentido, documento que foi registrado pelo deputado João Daniel em discurso feito na sessão da Câmara do Deputados desta quarta-feira, dia 19.

Da assessoria

Deixe Uma Resposta