João Daniel defende afastamento imediato de Moro e procuradores da Lava-Jato

0

Diante das mensagens trocadas entre o então juiz federal Sérgio Moro e procuradores do Ministério Público Federal em Curitiba que atuam na força-tarefa da Operação Lava-Jato, tornadas públicas em reportagens do portal The Intercept Brasil no último domingo, o deputado federal João Daniel (PT/SE) defendeu o afastamento imediato do agora ministro daJustiça, Sérgio Moro e dos procuradores da Lava-Jato, por conta da falta de imparcialidade e atuação em conjunto com o objetivo de impedir a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva às eleições presidenciais em 2018.

Em discurso na Câmara, na sessão desta quarta-feira, dia 12, João Daniel parabenizou todas as instituições que têm se manifestado favorável à abertura de investigação para que sejam apuradas as mensagens em que eles estariam traçando estratégias para a denúncia contra o ex-presidente. Depois da publicação das reportagens, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) se manifestou através de nota pública recomendando o afastamento dos envolvidos para que as investigações ocorram sem qualquer tipo de suspeita.

Para João Daniel, o conteúdo que foi revelado nas conversas entre o juiz e os procuradores demonstram aquilo que já era denunciado pelos advogados de Lula, pelo Partido dos Trabalhadores, pela sua bancada e outros partidos de oposição, de que a Lava-Jato e o então juiz Sérgio Moro se prestavam a fazer um serviço que era político. “Um serviço que se tinha dúvidas e tínhamos denúncias graves de que estava formado um conluio para condenar Lula e toda uma estratégia dos Estados Unidos por trás, contra a Petrobras, a soberania nacional e as grandes empresas no Brasil”, relatou o parlamentar.

O deputado acrescentou que jamais o PT ou a bancada de oposição questionaram ou questionam qualquer operação e investigação sobre corrupção no Brasil. “Muito pelo contrário. Com muito orgulho dizemos e provamos que foi no governo Lula que as instituições se fortaleceram, ganharam força para que investigassem, apurassem e punissem qualquer denúncia, em qualquer lugar, público ou privado, deste país”, afirmou.

Na avaliação de João Daniel, o que a reportagem do jornalista Gleen Greenwald, um dos mais respeitados e premiados do mundo, trouxe é muito grave. Segundo ele, diante disso só resta pedir ao Congresso Nacional que afaste imediatamente o ministro Sérgio Moro. “Ele, por coerência, deve pedir afastamento, deve pedir que a investigação seja feita. Não é possível que uma denúncia dessa gravidade seja ele que investigue, porque a Polícia Federal está sob seu comando”, acrescentou. Para ele, o procurador Deltan Dallagnol e sua equipe na Lava-Jato no Paraná se não tiverem coragem de pedir afastamento que o MPF o faça. “Essa situação é muito grave!”.

João Daniel disse ainda que espera que o governo federal não coloque o país num caminho pior do que hoje já está, numa crise ainda mais séria, mantendo no Ministério da Justiça Sérgio Moro. “Agora não se tapa mais o sol com a peneira. O juiz está numa situação que ele precisa se afastar. Para o bem da democracia e o fortalecimento das instituições, afastamento já de Sérgio Moro e procuradores e que seja feita uma investigação séria, correta e urgente”, declarou.

Deixe Uma Resposta