Infectologista alerta para cuidados com doenças transmitidas pelo beijo

0

Verão, férias, festas e muita azaração. Se há uma demonstração de afeto que a maioria das pessoas gostam é o beijo e através dele são inúmeros os benefícios, dentre eles a diminuição da ansiedade, o aumento da autoestima, a melhora do humor. Contudo,  o beijo na boca também pode ser responsável pela troca de vírus, bactérias e várias doenças são transmitidas pela saliva. Dessa forma, pode-se encontrar mais de 700 espécies de bactérias na cavidade oral, como os Lactobacilos, os Estreptococos e os Estafilococos que são exemplos de bactérias mais comuns que podem levar a infecção da boca e garganta. Portanto, quem mais beijar bocas diferentes, mais chances tem de contrair doenças.

 Conhecida popularmente como doença do beijo, a Mononucleose infecciosa, é causada pelo vírus Epstein-Barr. De acordo com o médico infectologista da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Marco Aurélio, geralmente as pessoas se contaminam a partir da fase da adolescência. “Pessoas que frequentam festas e beijam várias pessoas podem ter um risco maior. Ao contrair a doença  podem apresentar sintomas como febre prolongada, aumento dos gânglios do pescoço, aumento do baço, e em alguns casos pode aparecer manchas avermelhadas na pele. Vale ressaltar que  a mononucleose é uma doença que não precisa de tratamento, pois passa por si só”, explicou.

Além dela, a Herpes Labial também é transmitida pelo beijo. Geralmente é caracterizada por conter um área no lábio que forma bolhas. Embora a doença, na maioria dos casos, não causa nenhuma complicação grave,  tem o risco de reincidência, ou seja, é como se ele ficasse guardadinho  podendo retornar.  Assim como a herpes, a sífilis, Infecção Sexualmente Transmissível (IST), podem ser transmitidas também através do beijo, diz o infectologista Marco Aurélio. “No beijo, geralmente ocorre quando IST está na fase aguda formando feridinhas. A transmissão através do beijo ocorre em razão do contato com as feridas que é totalmente infectante”, conta.

Embora existam várias doenças e infecções que podem ser adquirida ao beijar, não se deve esquecer dos inúmeros benefícios. O ato ativa todos os sentidos do corpo humano e movimenta 29 músculos, sendo 17 da língua e 12 dos lábios. Além de também acelera os batimentos cardíacos, favorece o aparelho circulatório e ajuda na oxigenação do sangue.

Entendendo que o beijo em algumas situações  pode transmitir algumas doenças, a dica é ficar atento. “Se houve o contato, e logo depois aparecer alguma lesão na boca é importante procurar um profissional de saúde para ser avaliado”, alerta o infectologista da SES, Marco Aurélio.

Deixe Uma Resposta