Governo realizará auditoria no Huse com foco na melhor gestão dos recursos públicos 

0

O governador Belivaldo Chagas apresentou, nesta terça-feira (12), o funcionamento do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) ao presidente da Fundação Pio XII – mantenedora do Hospital de Amor de Barretos (SP) -, Henrique Prata. A visita à unidade contou também com a presença do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e teve por objetivo identificar às falhas e acertos no desempenho dos serviços do Huse, sobretudo na área da oncologia.

Na ocasião, o governador anunciou que, a partir de abril, a unidade passará por uma auditoria com a intenção de melhorar a gestão dos recursos públicos para conseguir oferecer um atendimento mais humanizado para a população.

A necessidade da auditoria foi apontada por Henrique Prata, uma vez que, na avaliação do empresário filantropo, o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) pode conseguir mais repasses federais a partir da melhor organização dos seus faturamentos e demandas e indicadores de serviços e atendimentos. “O governador herdou essa avalanche, que vem de contratos em vigência entre outros custos que se enxugados teriam uma carga absurda. Essa visão toda da gestão, só depois de uma auditoria, só assim ele poderá tomar uma decisão, porque não há condições de se tomar decisões agora. Mas eu vi a angustia dele, ele está inconformado com essa situação e por não haver uma humanização como deve haver. O que tem de bom aqui é o corpo humano, vimos muito forte o amor e carinho dos médicos, dos profissionais, mais a estrutura é desumana. O que tem aqui é uma gestão pública absolutamente errada, mas isso não é culpa dos gestores e sim da lei que favoreceu a ineficiência dos serviços públicos e, mais que a lei, do congelamento por 15 anos da tabela SUS”, colocou Prata.

O presidente da Fundação Pio XII destacou ainda que só veio a Sergipe porque percebeu a vontade do governador em mudar a realidade da saúde no estado, principalmente com relação ao tratamento de câncer. “Encontrei honestidade no governador de fazer a coisa certa. E para fazer isso é preciso unificar os serviços oncológicos. O governador está muito aberto a receber meus conselhos. Vi muita boa intenção no governador. Não só ele, como o prefeito, ontem ficaram o dia inteiro comigo avaliando o funcionamento de várias unidades, para saberem onde tem que melhorar. Se o governador quer uma aliança, fazer o certo, posso oferecer não só o conhecimento e a experiência de 56 anos do melhor case de saúde e estudos em câncer do país, mas também a parceria. Vamos invocar também o conceito do que é certo para sociedade civil, para todo mundo entender e poder ajudar, pois quem pode mudar o país é cada um de nós e agora é a hora”, completou Henrique Prata.

De acordo com Belivaldo, seu compromisso é com a verdade e em oferecer, como já afirmado em outras ocasiões, um melhor tratamento aos pacientes com câncer em Sergipe.  “Nós estamos preocupados em trabalhar com a realidade, estou buscando a verdade e procurando trabalhar com a realidade e enfrentar todos os problemas. Vamos contratar uma auditoria para que ela me entregue em mãos um relatório sobre a saúde no estado de Sergipe, principalmente sobre o que acontece dentro do Huse”, enfatizou o governador.

Após a visita ao Huse, o governador, o prefeito de Aracaju e Henrique Prata conheceram o Centro de Especialidades Médicas (Cemar), no bairro Siqueira Campos, na zona Oeste da capital. A unidade é gerida pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e oferta serviços médicos e odontológicos.

Para Edvaldo Nogueira é importante que haja o diálogo entre os serviços ofertados pela Prefeitura e pelo Estado com o objetivo de levar o melhor atendimento ao povo. “Aquilo que a gente puder fazer conjuntamente, vamos fazer. Estamos trazendo aqui um Hospital que tem uma grande expertise política, social e de trabalho, que é o Hospital de Amor, que está visitando instituições do governo e da prefeitura de Aracaju”, expôs o prefeito.

Hospital do Câncer 

Na sede da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha, o governador apresentou o projeto original do Hospital do Câncer Governador Marcelo Déda Chagas e falou das adequações que deverão ser feitas para adaptá-lo a realidade e conhecimentos da área hoje.

“Vamos contratar um escritório que entenda da logística de um projeto de estrutura no funcionamento na área de saúde, para que a gente pegue o que existe no Huse hoje, dentro da área de oncologia, e possa a agregar ao projeto do hospital do Câncer de Sergipe. Repito, a auditoria, a análise da engenharia é quem vai me dar o norte do que fazer em relação à saúde e a análise do novo projeto, sobre o olhar de quem realmente conhece o funcionamento da área de saúde, é que vai me dizer o que eu deve ser construído, de forma modulada ou não. Infelizmente, os números e a ciência vem mostrando, que dentro em breve , a gente vai ter mais pessoas com câncer, então a gente precisa avançar na prevenção, mas também no tratamento. Então estou, de forma bem humilde, pedindo ajuda e vou aceitar ajuda para conseguirmos avançar nessa área em Sergipe”, disse Belivaldo.

Segundo Henrique Prata, o projeto original do hospital do Câncer de Sergipe é bonito não é o adequado para o tratamento do câncer diante das informações atuais da área. “ Nós vamos somar. É preciso um bom arquiteto, um projeto estrutural moderno, adequado ao conceito de câncer, que é diferente das outras patologias. A parte de câncer do Huse pode ser aproveitada, mas não da forma que é hoje, não se comunica alta complexidade com tratamento oncológico, a cultura, disciplina e logísticas são outras. Mas, vi no Huse também partes boas, a exemplo da parte de radioterapia”.

Maternidade em Simão Dias

O presidente da Fundação Pio XII também conheceu o projeto da Maternidade de Simão Dias. O governo do Estado vai recuperar o prédio da primeira unidade hospitalar do município, fundada pela bisavó de Henrique Prata, Ana Hora Prata há quase 100 anos, e conhecida por muitos anos como Hospital Bom Jesus. O espaço deverá funcionar como uma casa de parto normal humanizado.

“Nós vamos ajudar no que precisar, porque o que o governador está fazendo é também um presente para memória da minha vida, da minha família, pois aquele local foi construído com dinheiro e cuidado da minha bisavó. Em novembro, serão os 100 anos dessa unidade e vamos inaugurar a maternidade. Sou grato ao governador pela memória da minha bisavó “, declarou Henrique Prata.

Deixe Uma Resposta