Ex-presidente do Conselho Estadual da Juventude acusado chantagear a comissão eleitoral

0
A comissão eleitoral instituída em reunião convocada pelo Conselheiro e à época, presidente do CONEJUV – Conselho Estadual da Juventude, o Sr. Nicolas Antunes vem à público esclarecer suas declarações públicas e  falsas a cerca do processo eleitoral para a próxima gestão do CONEJUV.
Ao ser instituída a Comissão para realização do processo eleitoral, o Conselho é dissolvido e a comissão passa a ser representante legal, ou seja, o Sr. Nicolas Antunes, não é mais presidente do Conselho Estadual de Juventude do Estado de Sergipe, pois o mandato se inspirou em dezembro de 2016, quando o mesmo sem demonstrar o interesse e a  responsabilidade cabível para a função não deu início ao processo de novas eleições.
A eleição inicialmente foi prevista para Março, começando seu prazo de inscrição no dia 6 de Março. Fotos no Facebook  e as postagens pessoal do ex-presidente em sua rede social, desmentem o fato da falta de divulgação e notoriedade uma vez que 99 entidades concluíram suas inscrições, superando o número de 37 representações da eleição anterior, conduzida pelo próprio à época um dos colaboradores para a constituição do CONEJUV.
Segue a verdade dos fatos, o adiamento por duas vezes do processo eleitoral, deu-se a primeira vez, por pedido dos representantes das juventudes partidárias em reunião realizada na Coordenadoria Especial de Juventude, reunião essa que contou a presença da Srta. Linei Pereira, secretária estadual da Juventude do PT e do ex-presidente do Conselho, o Sr. Nicolas Antunes. Temos fotos da referida reunião com a presença dos citados comprovando que eles aprovaram a alteração da data da eleição e ampliação do prazo de inscrições, dois membros da Comissão Eleitoral estavam presentes e atenderam o pleito, uma vez que o Coordenador Especial de Juventude, Fredson Santana, manifestou também sua preocupação com a falta da garantia de estrutura por parte do Governo do Estado.
O segundo caso, deu-se mediante solicitação do Exmo. Sr. Antônio Hora Filho, Secretário de Estado da Juventude, Esporte e Lazer, em função da reforma administrativa promovida pelo Exmo. Sr. Jackson Barreto de Lima, Governador do Estado, que transferiu a Coordenadoria Especial da Juventude parte importante neste processo, da Secretaria da Inclusão  Social, para um outro espaço institucional e elevando a Juventude a patamar de secretaria. Com isso, todo o orçamento das pastas precisam ser refeitos e o Sr. Antônio Hora Filho, em atitude de bom senso e pensando em todas as garantias para a realização de um evento amplo, plural e democrático, solicitou o adiamento por falta de orçamento.
O Sr. Nicolas Antunes, de maneira irresponsável e acima de tudo leviana, acusa a comissão eleitoral de viciar o processo, a sua irresponsabilidade por demais conhecida nos meios de juventude, não o deixou inscrever ‘suas’ instituições no processo, alegando estar envolvido em outra eleição, ou seja, a Juventude não foi prioridade do mesmo e não é, uma vez que declarou a um membro da comissão eleitoral que não haveria Conselho.
Um outro  exemplo: sua passagem pela presidência do CONEJUV, ficou marcada por pouca produção real de trabalho, com exceção da Realização da 1° Conferência Estadual da Juventude, realizada em Setembro de 2016, mas que foi organizada pelo por outro Conselheiro que a assumiu a responsabilidade em conduzir e garatir que mesma fosse realizada, enquanto o Sr. Nicolas Antunes, mais uma vez se ausentou irresponsavemente da construção da mesma e não deu os encaminhamentos posteriores as demandas apresentadas pela juventude como resultado da Conferência.
O Sr. Nicolas Antunes, se apresentou mediante a Comissão Eleitoral no dia 5 de Abril, se dizendo estar legitimado a falar em nome de toda a Juventude do Partido dos Trabalhadores, pediu a prorrogação do prazo de inscrição para que ele pudesse inscrever 30 entidades, caso esse pedido não fosse aceito, a JPT se retirava do processo e o deslegitimaria, cabe esclarecer que quem legitima o processo, não é um partido político, é o conjunto dos interessados em construir a luta, Sr. Nicolas Antunes, nem você, nem qualquer partido é maior que a Juventude Sergipana.
 Um tentativa de chantagem descabida que ele tentou para obter vantagem querendo que a comissão eleitoral o ajudesse a fraudar o processo, para que a irresponsabilidade dele em não inscrever as entidades em tempo hábil, fosse corrigida. Lembrando que a Juventude do PT e o Coletivo de Jovens Mulheres do PT, fizeram a pré-inscrição via internet após o representante da JPT não ter seu pedido de reabertura do prazo atendido o mesmo declarou que estavam se retirando processo e culpando a Comissão Eleitoral por isso.
O país passa por um momento de instabilidade política, a sociedade está cansada desse tipo de situação, é lamentável que um jovem com todo um futuro pela frente, dê seus primeiros passos na política dessa maneira.  Quem não se importa como será lembrado no futuro, não está preocupado com suas atitudes no presente. O discurso de defesa da juventude ele se esvai e se torna falacioso quando vem de pessoas com um vasto histórico de irresponsabilidades e agora acrescido de  chantagem. A comissão eleitoral repudia esse tipo de comportamento, que em nosso entender não merece a dignidade da resposta, mas a sociedade e a juventude sergipana merecem o respeito de saber a verdade.
Temos plena ciência que essa não é a postura do Partido dos Trabalhadores, nem tampouco do conjunto das forças que compõe sua juventude, que na atualidade apresenta um imenso processo de renovação, com jovens que já contribuem para o desenvolvimento de Sergipe e do Brasil,  é até uma falta de respeito com a história dessas pessoas o Sr. Nicolas Antunes os representar em qualquer que seja o espaço.
A Comissão Eleitoral se mantém aberta ao diálogo com aqueles que desejam construir esse valoroso espaço para a Juventude, acima de tudo prezamos pelo respeito. Aguardamos a posição do Sr. Antônio Hora Filho, com relação a nova data da eleição.

Deixe Uma Resposta