Especialista alerta sobre incidência de doenças cardiovasculares em idosos

0

É bem verdade que a população mundial está vivendo e envelhecendo mais. Mas, todo cuidado é pouco. Por mais que o avançar da idade seja uma das fases mais importantes da vida, o envelhecimento reforça ainda mais a importância de manter a saúde em dia, evitando, por exemplo, o risco de doenças crônicas, com destaque para as cardiovasculares. Pensando nisso, o POLÍTICA EM FOCO convidou o cardiologista André Picanço para falar um pouco mais sobre o assunto, além de destacar a importância da realização do ecocardiograma.

Política em Foco: A incidência de doenças cardiovasculares em idosos dobra aproximadamente a cada decênio de vida. Quais são as abordagens que a Organização Mundial da Saúde realiza visando uma melhor prevenção e controle?

Dr. André Picanço: Estima-se que em 2025 o Brasil será o sexto país em número e existirá um total de 1,2 bilhões de pessoas com mais de 60 anos em todo mundo. Preocupada com esse cenário, a OMS adotou o termo “envelhecimento ativo”, ainda nos anos 90, que englobaria um conceito mais abrangente do que “envelhecimento saudável”, referindo-se a participação contínua do indivíduo nas questões sociais, econômicas, culturais, espirituais e civis e não somente a capacidade de estar fisicamente ativo. O objetivo é aumentar a expectativa de uma vida saudável e a qualidade de vida de todos os que estão envelhecendo, inclusive os que são frágeis, fisicamente incapacitadas ou que requerem cuidados.

Política em Foco: É  verdade que as alterações estruturais e funcionais do sistema circulatório, que ocorrem no envelhecimento, facilitam o desenvolvimento de doenças cardiovasculares que podem tornar o envelhecimento mal-sucedido? Como isso deve ser evitado?

Dr. André Picanço: As principais causas de mortalidade entre nós são as doenças cerebrovasculares, seguidas pela doença isquêmica e hipertensiva. A adoção de estilos de vida saudáveis com a abstinência do fumo e do álcool, a prática regular de atividades físicas e a adoção de uma alimentação saudável e a participação ativa no cuidado da própria saúde, com a realização de exames de rotina e quando necessário à adesão ao tratamento proposto são fundamentais.

Política em Foco: O ecocardiograma é um dos principais recursos para investigar as doenças cardiológicas. O que seria o exame e quais as patologias que podem ser vistas?

Dr. André Picanço: O ecocardiograma é um exame de ultrassonografia do coração, que fornece imagens obtidas através de ondas sonoras de alta frequência sendo assim possível avaliar as estruturas cardíacas, como o músculo e as valvas, além da avaliação do fluxo sanguíneo pelo interior das cavidades. Sua aplicação é muito abrangente, sendo principalmente indicado para avaliação da função sistólica e diastólica do VE, dimensões das cavidades e vasos, funcionamento das valvas e avaliação da contratilidade segmentar do músculo cardíaco. Entre as patologias que podemos avaliar através do método existe a investigação de dispnéia, sopros, síncope e dor torácica, podendo ser diagnosticado cardiomiopatia dilatada, hipertrófica e restritiva, valvopatias e síndromes coronarianas entre outras.

Política em Foco:  Existem várias modalidades de ecocardiogramas. As mais modernas, em associação com o Doppler, oferecem imagens coloridas em 3D capazes de possibilitar a visualização de detalhes anatômicos e funcionais mínimos do coração. Esse tipo de exame existe aqui em Sergipe?

Dr. André Picanço: A ecocardiografia vive em constante evolução, com o surgimento de métodos novos que vão ampliando a sua aplicação e capacidade de detecção diagnóstica. Entre os mais atuais, como você citou, a ecocardiografia em 3D, que é a formação das imagens adquiridas através das ondas sonoras não nas duas dimensões habituais, mas em três. Para a realização desse exame são necessário  aparelhos mais modernos e com maior capacidade de processamento, além de sondas específicas. Sim, aqui no Estado existem alguns serviços que a oferecem.

Política em Foco: Ficamos sabendo que no Setor Cardiovascular da Clínica Santa Helena existe um aparelho de ecocardiograma chamado de Vivid S70. Qual o seu diferencial?

Dr. André Picanço: Sim, a Clínica adquiriu um novo aparelho da GE, chamado Vivid S70, no intuito de oferecer o que existe de mais atual e moderno nos exames de ecocardiografia. Esse aparelho representa um salto na capacidade de aquisição e processamento de imagens quando comparado com versões anteriores, exibindo uma excelente qualidade de visualização em 2D, fluxo de cores e Doppler, excelente resolução espacial e de detalhes que ajudarão a reduzir exames inconclusivos e melhorarão a capacidade de detectar alterações, além de possuir a tecnologia 3D instalada.

Política em Foco:: Agradecendo a sua participação, qual o segredo para envelhecer com saúde?

Dr. André Picanço: Principalmente desfazer um dos mitos do envelhecimento de que é tarde demais para se adotar um estilo de vida mais saudável nos últimos aos de vida. Pelo contrário, a adoção das práticas citadas anteriormente podem prevenir doenças e o declínio funcional, aumentar a longevidade e a qualidade de vida do indivíduo mesmo se iniciadas tardiamente.

Foto: Divulgação.

Deixe Uma Resposta