Eliane fora do páreo?

0
No final desta semana deve acontecer uma reunião das lideranças do PT para discutir as eleições 2020 em Aracaju. Já há um consenso no partido de candidatura própria bem antes do ex-presidente Lula declarar que a legenda deve ter candidato a prefeito nas capitais e nos grandes municípios, visando fortalecimento para 2022.
Até o momento o vice-presidente nacional do PT, ex-deputado federal Márcio Macedo, é o único que colocou seu nome à disposição do partido para concorrer à prefeitura no próximo ano. Fez isso durante recente Encontro Estadual do PT, realizado no Sindicato dos Bancários, em Aracaju.
A coluna tinha informações de uma liderança do PT de que Márcio, inclusive, já tem o apoio de lideranças petistas como o senador Rogério Carvalho, o deputado federal João Daniel e a vice-governadora Eliane Aquino. E que, inclusive, já estaria contratando agência para trabalhar sua pré-candidatura, estudando os problemas da capital e visitando os bairros.
Só que nesse último final de semana a coluna foi informada que Eliane Aquino, em uma conversa política com uma liderança de um outro partido, teria admitido que pode ser a candidata a prefeita se o seu nome for um consenso no PT.  Se falou, até, na possibilidade de composição entre as duas legendas se for o entendimento do PT.
Eliane, até hoje, não fala publicamente sobre a possibilidade de disputar a PMA em 2020. Mas, pode sim, ser candidata para defender o legado do ex-governador Marcelo Déda, deixando a disputa pelo Governo do Estado em 2022 para Rogério Carvalho.
Em conversa ontem com a coluna, o presidente do Diretório Municipal do PT em Aracaju, Jefferson Lima, disse que até o momento só Márcio Macedo colocou seu nome à disposição do partido para a sucessão do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).
Enfatizou que qualquer discussão de nome tem de ser colocada no partido, que decidirá. Disse esperar que até o final deste ano o PT já tenha uma definição de candidatura para que possa ser realizado um grande encontro com a militância para começar a organizar a legenda e mobilizar os petistas para as eleições 2020.
Agora é aguardar o desenrolar dos acontecimentos do PT em Aracaju, que pelo andar da carruagem caminha mesmo para uma ruptura política com o agrupamento liderado hoje pelo governador Belivaldo Chagas (PSD) para sair com candidatura própria, que é um direito democrático da legenda.
Resta saber agora se vai para o enfrentamento com Márcio ou Eliane…
…………………………………………………………………………………………………..
Eleições em Aracaju 1
O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) também está se articulando para as eleições 2020 em Aracaju. Voltou a se reunir ontem de manhã com seu agrupamento político para discutir essa pauta.  “Eu sigo exatamente aquilo que eu falei durante todo o ano. É um trabalho de grupo. Nosso grupo político vem crescendo muito. Temos nomes extremamente  competitivos, que já hoje nas pesquisas empatam ou ganham da atual gestão de Aracaju. Isso vem assustando. Precisamos ter paciência, copreensão e respeito para que esse caminho seja construído de uma forma natural. Todos que fazem parte do grupo estão confortáveis com essa forma de atuar”, afirmou.
Eleições em Aracaju 2
Marcaram presença na reunião com o senador os três com seus nomes cogitados para disputar a Prefeitura de Aracaju: a vereadora Emília Corrêa (Patriotas), o empresário Milton Andrade (Novo) e o ex-vereador Dr Emerson Ferreira (Cidadania). Assim como os pré-candidatos a prefeito, o deputado estadual Samuel Carvalho (Cidadania-Nossa Senhora do Socorro) e o advogado Herbert Pereira (Cidadania-Barra dos Coqueiros).  Ainda presentes os deputados estaduais Kitty Lima e Georgeo Passos, ambos do Cidadania, e a presidente da Executiva Estadual do Cidadania, Núzia Campos.
Nova provocação 1
O presidente estadual do PTB, deputado estadual Rodrigo Valadares, que anda às turras com Alessandro, voltou a provocar ontem o senador pelas redes sociais. Questionou se ele estava montando uma chapa em 2020 para perder.
Nova provocação 2
“Caso o nobre senador queira um debate sério e civilizado, aqui estão nossos questionamentos: 1) Por que o senhor não faz oposição a Edvaldo [Nogueira] e Belivaldo [Chagas]? 2) O senhor tá montando uma chapa em 2020 para perder? 3) O senhor tem medo de se aliar com qualquer um que o faça sombra em 2022? 4) Nesse acordo com Laércio [Oliveira] para 2022, Laércio vem para oposição ou Alessandro pra base governista?”, desafiou Rodrigo.
Nova provocação 3
Alfinetou ainda Alessandro, o acusando de fugir aos seus questionamentos e responder utilizando “teorias da conspiração esdrúxulas e fake news”, tentando lhe desqualificar como pessoa.
Só para lembrar 1
Na semana passada Rodrigo Valadares, também pelas redes sociais, classificou o senador como “líder inseguro”, que se sai bem como técnico legislativo, mas como político só conseguiu recordes em “eleitores arrependidos”. Disse ainda que Alessandro não apoiaria uma pré-candidatura dele ou da veradora Emília Correa porque quer um nome para disputar a prefeitura que “cumpra tabela” e perca a eleição, para que ninguém lhe faça sombra em 2022”.
Só para lembrar 2
Em resposta a Rodrigo Valadares, o senador Alessandro disse que não trabalha com “fake news”. Ressaltou que está focado em construir um grupo sólido para realmente mudar Sergipe, não só com caras novas, mas com práticas novas.
Homenagem póstuma 1
Ontem completou seis anos da morte prematura do ex-governador Marcelo Déda, aos 53 anos. Várias lideranças políticas e ex-companheiros lhe renderam homenagem nas redes sociais, dentre os quais o governador Belivaldo Chagas (PSD), o ex-governador Jackson Barreto (MDB), o senador Rogério Carvalho (PT), os deputados federais Fábio Mitidieri (PSD), Fábio Henrique (PDT) e Valadares Filho (PSB), o deputado estadual Zezinho Sobral (Pode) e o ex-deputado federal Márcio Macedo (PT).
Homenagem póstuma 2
Chegou a declarar Belivaldo: “Dia de relembrar esse amigo pelo qual tenho uma gratidão eterna! São 6 anos de saudade desse cabra, que tive o privilégio de conviver de perto. Quando Marcelo Déda foi governador em seu primeiro mandato, tive a honra de ser seu vice”.
Homenagem póstuma 3
Ressaltou o governador: “Já no segundo mandato, Déda me delegou a nobre missão de dirigir a Educação do nosso Estado. Sem dúvidas, além de um grande líder, Déda foi e sempre será um grande amigo”.
Missa
Ontem à noite foi celebrada uma missa pelos seis anos de falecimento de Déda, encomendada pela viúva, a vice-governadora Eliane Aquino. Ela ocorreu na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no São Conrado, em Aracaju.
Eleição suplementar 1
Oito municípios nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste foram às urnas no último domingo (1º) para escolherem os prefeitos que governarão até dezembro de 2020. Os prefeitos eleitos em 2016 nessas localidades tiveram seus diplomas ou mandatos cassados, ou seus registros de candidatura indeferidos pela Justiça Eleitoral.
Eleição suplementar 2
As eleições suplementares ocorreram nos municípios de São Francisco (SE), Lajeado (TO), Japorã (MS), Bofete (SP), Ceará Mirim (RN), Alto do Rodrigues (RN), Ibitiúra (MG) e Aracoiaba (CE). Em São Francisco, cinco pessoas chegaram a ser presas por suspeita de compra de votos, mas foram soltas após pagamento de fiança.
Eleição suplementar 3
Em São Francisco foi eleita a candidata do MDB, a professora Alba dos Santos Nascimento, que obteve nas urnas 1.844 votos, o correspondente a 65,07% dos votos válidos. Ela ganhou o pleito para o candidato do PSB,  Luan Araújo Cardoso (PSB), que obteve 990 votos, o correspondente a 34,5% dos votos válidos. Os votos de José do Carmo Filho (PDT) não foram computados por conta de pendências no registro de candidatura junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SE).
Curiosidade
Em três municípios que ocorreu eleição suplementar no último domingo houve uma única candidatura deferida e os eleitos contaram com a totalidade dos votos válidos.  São eles: Lajeado (TO), onde ganhou o candidato do PSD, Junior Bandeira, com 100% dos 1.779 votos; Japorã (MS), sendo vencedor o candidato do PL, Paulão Franjotti, com todos os 3.277 votos válidos; e Bofete (SP), onde ganhou o tucano Osvaldo do Baiano (PSDB), com 3.526 votos.
De novo
O prefeito Valmir de Francisquinho (PR-Itabaiana) voltou a ser acusado, mais uma vez, por crime de peculato pelo Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deotap). Desta vez, a acusação é por desvios de mais de R$ 3 milhões de impostos (IPTU e ITBI) recolhidos pelo município entre 2016 e 2017. A acusação anterior foi por desvio de recursos do matadouro da cidade.
Esperar pra ver
O advogado do prefeito, Evânio Moura, garante que vai conseguir comprovar que a denúncia do Deotap não procede e acredita que, sequer, ela seja aceita pela justiça criminal. Como argumento, diz que a arrecadação aumentou no município.
Em Itabaiana
O presidente estadual do PSDB, ex-senador Eduardo Amorim, esteve no domingo com o prefeito Valmir de Francisquinho inaugurando obras de uma creche e uma praça em Itabaiana, construídas com recursos de emenda parlamentar que destinou para o município. Eduardo não terá o apoio do prefeito se desejar disputar as eleições 2020.
Veja essa…
Faltando menos de um mês de completar seu primeiro ano de governo, o presidente Jair Bolsonaro já soma pelo menos 111 ataques à imprensa este ano. Somente no último mês foram registradas 12 ocorrências, todas classificadas como “descredibilização da imprensa”. Em média, Bolsonaro fez um ataque à imprensa a cada três dias de governo. O levantamento é da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), feito entre 1º de janeiro e 30 de novembro.
CURTAS
Líderes se reúnem hoje no Senado para tratar de propostas que autorizam prisão em 2ª instância. Eles podem decidir os próximos passos da discussão sobre a prisão após condenação em segunda instância.
O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) defende a prisão em 2ª instância, por achar que a decisão do STF de voltar atrás nessa questão só favorece a impunidade e ressuscita no Brasil a possibilidade de processos intermináveis para aqueles que têm recursos financeiros e podem contratar caros advogados.
Do senador Rogério Carvalho (PT): “A tragédia de Paraisopolis foi mais um crime contra os pobres. Vivemos um momento tenebroso da nossa história. Na condição de presidente da mesa no Senado, repudiamos esta política de criminalização da pobreza”.
O ex-senador Valadares (PSB) comemorou o encontro que teve no domingo, na visita ao Povoado Frutuoso (Canhoba), com os vereadores Devinho e Mirelle, de Canhoba, e Paulinho de Amparo.  Terminou com almoço com galinha de capoeira.
Do coordenador das eleições 2020 do PSC em Aracaju, Clóvis Silveira, à coluna, sobre a foto do senador Alessandro Vieira após reunião ontem com seu agrupamento político: “Esse é o tamanho do grupo. Não deve ir muito longe”.

Deixe Uma Resposta