Divórcio previsto em 2020

0

Nas rodas políticas já estão sendo fei tas apostas de que nas eleições 2020  em Aracaju o PT ficará de um lado e o MDB do outro. Será o fim de um casamento que vem desde Marcelo Déda (PT) candidato a prefeito de Aracaju, em 2000.

O projeto político do PT, que tem o consenso entre as lideranças do partido, é ter candidato próprio a prefeito de Aracaju na tentativa de voltar ao comando da capital e se fortalecer politicamente para disputar o governo em 2022.

A predisposição do MDB, que terá o ex-governador Jackson Barreto como presidente do Diretório Municipal, é apoiar a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Acompanhará o MDB o PSD do deputado federal Fábio Mitidieri, que, inclusive, tem a pretensão de indicar o vice.

Já o PT, que tem uma grande militância, vai ter de construir aliados. Nesse sentido, o vice-presidente nacional do partido, Márcio Macedo, tem conversado com o PSB dos Valadares e o PRB do ex-deputado federal Heleno Silva.

É pouco provável que se concretize uma aliança com o PSB, pelas divergências políticas geradas entre os dois ex-aliados [PT e PSB], e pelo fato do PSB continuar com a pretensão de também disputar a Prefeitura de Aracaju.

É muito provável que o candidato a prefeito do PSB seja o ex-deputado federal Valadares Filho, que já disputou a prefeitura e o governo do Estado.

O PRB pode compor com o PT, com o PSB ou qualquer outro partido desde que fique com a indicação do vice. Hoje o PRB está mais próximo do PT, já tendo havido vários encontros de Heleno Silva com Márcio Macedo e o senador Rogério Carvalho.

Já prevendo suprir a baixa do PT e PRB, Edvaldo busca ampliar os aliados, trazendo para a administração municipal o PP e SD.

Sabe-se que um racha dentro de um bloco aliado e coeso só favorece o adversário. Eleições passadas tem mostrado isso com a oposição, que, fragmentada, não consegue ganhar um pleito.

Agora é aguardar o desenrolar dos acontecimentos, já que faltam ainda 18 meses para as eleições e na política tudo pode acontecer, inclusive nada…

A coligação

Em 2016, Edvaldo Nogueira foi eleito prefeito de Aracaju na coligação  PCdoB/PT/MDB/PSD/PRB/PTdoB/PTN/PRP. É muito provável que permaneça na aliança o MDB, PSD, PTdoB, PTN e PRP e que agregue o PP do deputado federal Laércio Oliveira e o SD do deputado federal Gustinho Ribeiro.

Novos aliados 1

O PP integra a administração de Edvaldo Nogueira com a indicação do professor Alan Alexander Mendes Lemos para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o SD com o administrador Marlysson Magalhães na Secretaria da Indústria, Comércio e Turismo.

Novos aliados 2

Na posse de Marlysson o deputado Gustinho Ribeiro chegou a afirmar sua satisfação com a indicação do cargo, destacando o fortalecimento da aliança. O mesmo fez Laércio Oliveira com a indicação de Alan.

Novos aliados 3

Ontem o prefeito conquistou mais um aliado: o deputado federal Valdevan Noventa (PSC). Com isso, Edvaldo tem hoje o apoio de cinco dos oito deputados federais de Sergipe: Laércio Oliveira (PP), Gustinho Ribeiro (SD), João Daniel (PT), Fábio Mitidieri (PSD) e Fábio Henrique (PDT), que, inclusive, aguarda filiação do gestor ao seu partido. De grão em grão a galinha enche o papo…

O vice 1

O nome do PRB para vice nas eleições de Aracaju em 2020 é o do ex-deputado federal Jony Marcos, presidente estadual do partido. Ele já vai transferir o seu título de eleitor de Nossa Senhora do Socorro para a capital sergipana.

O vice 2

O presidente de honra do PRB, Heleno Silva, defende o nome de Jony como vice pelo fato de já ter sido vereador de Aracaju por três mandatos. Já tendo, portanto, uma base na capital.

Para Câmara

Enfatiza Heleno que o nome do PRB para vereador de Aracaju é o do pastor Eduardo Lima. E que o nome de Jony está mesmo à disposição para vice.

Desabafo

Heleno descarta hoje uma aliança do PRB com Edvaldo Nogueira em 2020. “Edvaldo tratou o PRB como lixo, não tinha razão para isso. Dentro do PRB não há pretensão de apoio ao prefeito. Na campanha vou dizer que ele não quer ser prefeito, quer ser governador em 2022. Vou dizer que é comunista, que acabou com as festas evangélicas”, garante.

De olho em 2022

Na base aliada do governador Belivaldo Chagas tem, pelo menos, cinco lideranças políticas com pretensão de disputar o governo do Estado em 2022. Além do prefeito Edvaldo Nogueira e da vice Eliane Aquino (PT), que não confirmam isso, tem o senador Rogério Carvalho (PT) e os deputados federais Fábio Mitidieri (PSD) e Laércio Oliveira (PP).

Ponto de vista sobre a sucessão

Do ex-senador Valadares (PSB): “Vai ser preciso muito contorcionismo por parte da turma do governo aceitar uma candidatura do PT contra Edvaldo. Por outro lado, como ajeitar correntes do PT que se apegam aos cargos como visgo de jaca? Se for tomada mesmo uma diretriz da candidatura própria o partido vai exigir a entrega dos cargos. É aí onde a porca torce o rabo”.

Ponto de vista sobre Bolsonaro

De Valadares: “A sociedade civil está perplexa com a fraqueza intelectual, com o despreparo e o desequilíbrio emocional do presidente. Ao não conter as suas emoções Bolsonaro ensina a arte de atirar no pé. Aceita mexer no orçamento da União e aponta o gatilho para atirar nas Instituições de Ensino Públicas, achando que os seus gastos são incompatíveis com as nossas receitas, e não enxerga que educação não é gasto, e, sim, investimento. Posso apontar no mundo inteiro dezenas de nações, como a Noruega (que era uma das mais atrasadas da Europa) que derrubaram o desemprego e a pobreza, adquirindo um nível de bem estar social invejável, porque incluíram como prioridade nos seus orçamentos  investimentos em favor da educação, pesquisa, inovação e tecnologia”.

Vai ter Forró Caju

O prefeito Edvaldo Nogueira confirmou ontem a realização do Forró Caju 2019 nos dias 23, 24, 28 e 29 de junho, mediante emendas apresentadas pelo deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) para realização do festejo junino. O parlamentar indicou uma emenda individual de R$ 500 mil. No Forró Caju 2018, quem viabilizou os recursos junto ao governo federal, na ordem de R$ 3,7 milhões, foi o então deputado federal André Moura (PSC), que era líder do governo Michel Temer no Congresso Nacional.

Pelo interior

O governador Belivaldo Chagas teve agenda ontem no interior. Foi a Itabaiana para ver o andamento das obras do Ceasa e a Carira para inauguração da pavimentação asfáltica de vias da cidade, além da conclusão da reforma do Ginásio de Esportes José Rodrigues Irmão.  Esteve na companhia do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), do presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Luciano Bispo (MDB).

Bloco independente

Ao menos cinco partidos – Podemos, PSC, Cidadania, Patriota e PV – planejam a criação de um bloco “independente” na Câmara dos Deputados para ganhar mais espaço político e por insatisfação com a condução da articulação política pelo Palácio do Planalto.

Veja essa …

Do cantor Lobão, apoiador incondicional de Jair Bolsonaro, ao jornal Valor Econômico: “Eu tinha que optar por alguém e esse alguém foi o Bolsonaro. Mas ele mostrou que não tem a menor capacidade intelectual e emocional para poder gerir o Brasil. Isso está muito claro para mim e fico muito triste. É óbvio que o governo vai ruir”.

Curtas

O presidente licenciado do PT, senador Rogério Carvalho, em conversas políticas no seu gabinete em Brasília tem reafirmado a pretensão do partido em ter candidato próprio a prefeito de Aracaju em 2020 e descartado uma composição com o PSB. Disse que não acredita no PSB, que conhece o estilo do ex-senador Valadares, “que só sai na vantagem”.

Já o vice-presidente nacional do PT e pretenso candidato a prefeito de Aracaju, Márcio Macedo, é simpático a uma aliança com o PSB e tem conversado com o presidente estadual do partido, o ex-deputado federal Valadares Filho.

Conhecido por sua articulação política, o ex-governador Jackson Barreto (MDB) esteve no povoado Rita Cacete participando do programa ‘Minha Cidade é  Aqui’. Esteve ao lado do prefeito Marcos Santana (MDB).

O presidente da Câmara, vereador Nitinho Vitale (PSD), será o prefeito de Aracaju a partir deste sábado. É que Edvaldo Nogueira tirará 15 dias de férias, quando viajará com a família para o exterior. O presidente da Câmara nesse período será o vereador Tiaguinho Batalha (PMB).

 

O ex-presidenciável e coordenador nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos (PSOL), cumpriu ontem uma agenda extensa em Sergipe. Pela manhã, em Itabaiana, participou de um debate sobre a atual conjuntura política do País, tendo como tema: “Defender a previdência pública contra a reforma de Bolsonaro”. A tarde participou do lançamento da Associação Brasileira dos Juristas pela Democracia (ABJD) Sergipe, em Aracaju; e à noite esteve debatendo na Universidade Federal de Sergipe (UFS) a educação pública e o corte de 30% no orçamento das instituições federais.

Na UFS e em Itabaiana ele criticou Bolsonaro por tirar R$ 7 bilhões da educação e conceder R$ 40 milhões em emendas a cada parlamentar que aprovar a reforma da previdência. Classificou a proposta de reforma da previdência como “covarde” e disse que o governo federal busca atender interesses de banqueiros e do capital estrangeiro. Lembrou que o ministro Paulo Guedes (Economia) é banqueiro e defende a previdência privada.

Boulos, que é ativista político, convocou os estudantes a organizarem um movimento de resistência ao corte de recursos da educação e à reforma da previdência.

Deixe Uma Resposta