CURTAS

0

O líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse ontem que será feito um esforço para votar a reforma da Previdência (PEC 287/16) entre os dias 19 e 28 de fevereiro. Se isso não ocorrer, por falta dos 308 votos necessários, o governo passará a defender a votação de outros temas de interesse do Executivo.

Ontem, na tribuna da Câmara, o deputado federal Valadares Filho (PSB-SE) reafirmou sua posição contrária à reforma da previdência com previsão de ser votada logo após o feriado do carnaval.

Disse o parlamentar que é a favor de que sejam adotadas medidas para equilibrar as contas da Previdência Social, mas, para isso, há outros meios que podem ser utilizados sem retirar direitos adquiridos dos trabalhadores mais pobres. “Medidas como o combate à sonegação e redução de isenções fiscais e da informalidade são apenas alguns exemplos do que pode ser feito”, destaca.

Valadares Filho e o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) não acreditam que o governo Temer conseguirá os 308 votos necessários para aprovar a reforma da previdência na Câmara.

Fábio Mitidieri, que também é contra a reforma, diz que o governo vem declarando que estão faltando apenas 40 votos para aprovação da reforma, mas acredita que falta mais de 100 e que, por isso, ela pode nem ser colocada para votação.

Deixe Uma Resposta