Crise econômica do país

0

O governador Jackson Barreto (MDB) – que anda muito abatido com a crise econômica do país que afetou Sergipe e prejudicou muito os servidores públicos do estado, aposentados e pensionistas – se animou um pouco com a questão do Finisa.

Na visita na última terça-feira, em Brasília, ao presidente da Caixa, Gilberto Occhi, e aos ministros Carlos Marun (Secretaria de Governo) e Henrique Meirelles (Fazenda), JB foi informado que ainda esta semana pode sair uma resolução que viabilizará a operação da liberação do financiamento de R$ 560 milhões para recuperação das rodovias estaduais e obras de infraestrutura.

A grande expectativa de liberação do Finisa e da possibilidade de normalizar o pagamento do salário dos servidores públicos, aposentados e pensionistas com as medidas de contenção de despesas que estão sendo adotadas no Estado, está dando mais ânimo a Jackson para concorrer ao Senado. Assim como deixar o governo já no dia 1º de março, 35 dias antes do prazo estabelecido pela legislação eleitoral.

Na última terça, JB confidenciou a aliados em Brasília que pretende mesmo entregar o governo no começo de março, mas não a gestão.   Disse que quer ajudar o seu sucessor Belivaldo Chagas (MDB) no que for preciso, que quer acompanhar a gestão do estado e o andamento das obras que venham a ser feitas pelo Finisa.

Agora a menina dos olhos de JB é o Finisa, que vai, inclusive, proporcionar a construção de uma nova rota em Sergipe: a rota do Agreste, que começará em Moita Bonita, passando por Itabaiana, Campo do Brito, São Domingos, Lagarto, Riachão do Dantas, Tobias Barreto, Poço Verde, Simão Dias, Pinhão e termina na BR – 235 depois de Pinhão. Vale lembrar que o governo Marcelo Déda fez a Rota do Sertão.

Com a decisão de deixar mesmo o governo no início de março, como deseja os aliados, Jackson não deve comparecer à Assembleia Legislativa no dia 15 de fevereiro, quando começa os trabalhos legislativos deste ano. Quer que Belivaldo compareça à Casa para fazer a leitura da mensagem governamental que, na realidade, é uma prestação de contas do governo.

Tão logo inicie os trabalhos na Assembleia, o governo estará enviando o projeto de lei com a proposta de fusão de algumas secretarias, como mais uma medida de contenção de despesas.

Como a coluna já noticiou, está nas mãos do governador, que já discute com Belivaldo Chagas, propostas de fusão. Existe o estudo de fusão das Secretarias de Esporte e Cultura com a Secretaria da Educação; existe a proposta de fusão de Esporte e Cultura com a Secretaria de Turismo; a fusão da Secretaria de Justiça com a Secretaria de Segurança Pública. E ainda a fusão das Secretarias de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia com a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão.

O que está sendo analisado são os convênios dessas secretarias com os ministérios.

O projeto de lei de fusão de algumas secretarias deverá ser o último a ser encaminhado à Assembleia pelo governador Jackson Barreto.

 

Deixe Uma Resposta