Chuvas: Prefeitura de Aracaju mantém equipes em alerta nesta quarta

0
Representantes da Secretaria de Defesa Social (Semdec), através da Defesa Civil, das empresas municipais de Serviços Urbanos (Emsurb) e de Obras e Urbanização (Emurb) e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) seguem em alerta com as ações de enfrentamento às constantes chuvas e, nesta quarta-feira, 10, atuam nos pontos mais críticos da cidade.
Equipes da Emurb estão realizando a desobstrução de drenagem na avenida Euclides Figueiredo, inclusive com a bomba de sucção de água; na avenida Ministro Geraldo Barreto Sobral, próximo ao Colégio Jardins; na rua Alcides Fontes, no bairro José Conrado de Araújo; na avenida Beira Mar, com a limpeza da saída do Canal Tramandaí; na avenida Francisco Porto e na rua 4 do bairro Lamarão.

Os agentes de trânsito da SMTT também estão orientando o tráfego em diversos pontos, principalmente na avenida Euclides Figueiredo. Já a equipe semafórica do órgão está atuando nos reparos dos semáforos que apresentaram problemas decorrentes das fortes chuvas. Bairros como o Jabotina, na região do Largo da Aparecida; Japãozinho, Santa Maria e Porto Dantas, especificamente no Coqueiral, estão sendo monitorados em tempo real. “Estamos tendo muita atenção com relação aos deslizamentos de terra, que podem ocorrer na Zona Norte, e aos alagamentos e inundações, que podem acontecer da Zona Norte à Zona Sul”, afirma o coordenador da Defesa Civil de Aracaju, major Sílvio Prado.
De fato, a chuva foi muito acima do que era previsto e do que esperado pelos órgãos municipais, que sempre se preparam para um possível aumento das precipitações. “Foram 155.2 milímetros de água, quando o previsto era de 35 milímetros e o esperado, de 50. Por isso, desde segunda-feira, 8, trabalhamos intensamente”, reforça o secretário municipal de Defesa Social, Luís Fernando Silveira.
Ele revela que, nesta quarta, as ações estão voltadas para a sucção de água na Euclides Figueiredo, que tem alagamento severo por causa das condições geográficas, e no Largo da Aparecida, que é um dos pontos mais baixos da cidade e acaba represando a água. “Estamos controlando in loco, com equipes da Defesa Civil e da Guarda Municipal no local desde a madrugada”, reforça.
Até o momento, o 199 recebeu 10 ocorrências relatando alagamentos, rachaduras em paredes e ameaças de deslizamentos de terra. “Não houve nenhum transbordamento de canal e, portanto, nenhum ponto inundado”, esclarece Luís Fernando, que chama a atenção para a ação conjunta das equipes. “Estamos nas ruas, apoiando as ações uns dos outros, engajados e de prontidão. Toda a Prefeitura está em alerta”, ressalta.
Essa, aliás, foi uma determinação do prefeito Edvaldo Nogueira durante a uma reunião ocorrida na noite de terça-feira, 9, com o Comitê de Gerenciamento de Crises. “A ação conjunta é fundamental, porque, com coordenação, a gente consegue centralizar as ações e trabalhar de modo integrado”, reforça. Para o secretário, as ações preventivas do próprio Comitê foram fundamentais para esse enfretamento. “A cada dia, a cidade está mais preparada e resiliente, embora não se possa controlar a natureza. Então, a determinação é de alerta e atenção total. O prefeito quer todas as equipes da Prefeitura de Aracaju atentas até que passem as chuvas”, frisa.
Trabalho pós-chuvas
O secretário de Defesa Social ressalta que, quando as chuvas passarem, o foco do Comitê será outro: o da recuperação. “A gente vai fazer os reparos que tiver que fazer e começar a se preparar para as outras chuvas”, declara Lúis Fernando. Esses reparos vão desde a realização de tapa-buracos até a verificação de estruturas residenciais, passando também pela orientação às pessoas. E essa outra fase pode acontecer em breve, já que a previsão é de diminuição das precipitações para hoje. “Mas a gente está pronto: se as chuvas continuarem, as ações do Comitê também continuam”, assegura. Havendo alguma necessidade, o secretário orienta que as ocorrências sejam feitas através do 199. “Toda a Prefeitura vai continuar trabalhando de forma integrada para enfrentar o problema”, garante Luís Fernando.

Deixe Uma Resposta