Centro de Meteorologia de Sergipe alerta para chuvas no fim de semana

0

A previsão climática para o fim de semana é de muita chuva em municípios da Grande Aracaju, Centro-sul, Agreste e Alto Sertão, é o que afirma o meteorologista do Centro de Meteorologia de Sergipe, ligado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Cemese/Semarh), Overland do Amaral.

Conforme o meteorologista, desde a semana passada o sistema avança da Bahia em direção ao litoral sul sergipano e deverá perdurar até a segunda-feira, 03. “Trabalhamos com a possibilidade desse sistema desde a última semana. Tivemos diversas reuniões com a Força Tarefa de Combate à Seca, apresentei as previsões climáticas estendidas, de ontem, 29, até a segunda-feira, 03, tendo uma maior distribuição de chuvas no domingo e na segunda-feira. Mostramos a possibilidade desse sistema, que está desde a Bahia, e passa pelo sul do estado de Sergipe, por municípios como Tobias Barreto, Tomar do Geru e Itabaianinha, nas regiões Centro-Sul e Sul, mais especificamente nos municípios que fazem divisa com a Bahia”, explica.

Grande Aracaju

Na Grande Aracaju, Overland alerta que a maior distribuição de chuvas deverá ocorrer no domingo, 02, e segunda-feira, 03. “Há possibilidade de chuvas mais volumosas, que poderá impactar as marés. Chamo atenção da população e dos órgãos municipais, para uma inundação mais acentuada em Aracaju”.

Agreste e Alto Sertão

O meteorologista também não descarta a chegada de chuvas no Agreste e no Alto Sertão. “As chuvas que chegarão ao Agreste no domingo e segunda poderão chegar ainda ao Alto Sertão, ao longo do São Francisco”, comenta.

Defesa Civil 

O coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Erivaldo Mendes, explana que as chuvas ocorridas nesta quarta-feira [nos municípios de Tobias Barreto, Poço Verde, Simão Dias, Lagarto, Pinhão, Ribeirópolis e Canindé de São Francisco]não trouxeram ocorrências de maior porte, mas frisa que a Defesa Civil segue monitorando o alerta meteorológico.
“Até o presente momento nenhuma ocorrência que remeta a esse tipo de acionamento, de órgãos, estruturas, nem mesmo da Defesa Civil. Não tivemos nenhuma ocorrência de maior porte, apenas transtornos normais, o que é normal quando chove: quebra de árvore, muros, coisas simples, que não tem maiores consequências. Tudo dentro da normalidade”.

Plano de Contingência

De acordo com o tenente-coronel Erivaldo Mendes, o alerta meteorológico é transmitido para os municípios que tem a competência legal de trabalhar as questões da Defesa Civil em âmbito municipal e cada município tem seus planos de contingência, que mobiliza a estrutura municipal, que é coordenada pela Defesa Civil.

“O Estado tem um plano, que é monitorar toda essa questão meteorológica e caso necessário, acionar os órgãos estaduais para atendimento e resposta a desastre. O Corpo de Bombeiros para salvamentos diversos, o DER para recuperação e reabilitação de acessos de estradas estaduais e o sistema da Secretaria de Saúde para dar suporte para melhoramento de equipes para recepcionar possíveis vítimas. Então, existe uma articulação em âmbito estadual para atender demandas emergenciais que a gente coordena e fica monitorando e demandando aos órgãos estaduais que têm competência e a nós próprios, da Defesa Civil, para também atuarmos com avaliações de determinadas situações para avaliar riscos e encaminhar decisões de interdição, um trabalho coordenado nesse sentido”, esclarece Mendes.

Chuvas fortes

No caso das chuvas se intensificarem, a Defesa Civil recomenda que a população esteja atenta ao surgimento de trincas, rachaduras, degraus ou rebaixamento do terreno. Outros sinais de alerta são a inclinação de postes e árvores; o aparecimento de valas com água mais barrenta que o normal, rachaduras nos pisos e paredes e de saliências nos muros. Diante de algum desses sinais é recomendável sair da casa em direção a um lugar seguro e ligar para o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), através do número 190.

Da assessoria

Deixe Uma Resposta