Caos no Centro

0

Ontem o Centro de Aracaju virou um caos. Quem foi trabalhar ou foi às compras no centro comercial viveu seu dia de transtorno pelas várias manifestações em ruas e avenidas, impedindo o tráfego de veículos.
Pela manhã, na porta da Câmara Municipal de Aracaju, os taxistas clandestinos fizeram um novo protesto para reivindicar a regulamentação do transporte alternativo da zona Sul da capital.

Aproveitaram a volta do recesso parlamentar dos vereadores para pedir o apoio dos parlamentares para que possam atuar legalmente no sistema de transporte público da capital. Fecharam o trecho da rua Itabaianinha, onde fica o Poder Legislativo Municipal, com a utilização de carro de som e faixas.

Já em frente à Assembleia Legislativa, filiados a 14 sindicatos de servidores públicos montaram acampamento na Praça Fausto Cardoso. Por não terem gostado do resultado da reunião no dia anterior, com o vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) sobre a questão salarial, eles foram pedir apoio dos deputados estaduais no sentido de que interfiram para que o governo resolva a questão da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e, consequentemente, possa conceder reajuste para o funcionalismo. Eles também protestaram contra o parcelamento dos salários.

A exemplo dos taxistas clandestinos, os servidores utilizaram faixas, cartazes e carro de som em frente à Assembleia. Diziam que esperavam propostas do governo e não a “choradeira” de que não tem recursos. Os delegados também participaram do movimento e declararam que vão continuar com a Operação Parcelamento, visando sensibilizar o governo para que atenda ao pleito da categoria.

Já na avenida 7 de Setembro, os aprovados no último concurso da Polícia Militar fecharam o semáforo. Munidos de faixas e falando palavras de ordem, os manifestantes pediam a contratação de novos concursados pelo governo. Eles também mostravam para a população a necessidade de aumentar o contingente policial, através de convocação dos excedentes, pelo crescimento da criminalidade no Estado.

Já pela tarde, alunos do Colégio Estadual Dom Luciano foram às ruas protestar contra a falta de limpeza e de merendeira naquela unidade de ensino. Segurando faixas, os estudantes saíram em passeata pela Av. Barão de Maruim.

Trocando em miúdos, o povo aracajuano  que sofre com o problema de mobilidade urbana por conta da falta de uma política municipal para resolver a questão dos engarrafamentos – foi ainda mais afetado ontem com todas essas manifestações contra o prefeito João Alves (DEM) e o governador Jackson Barreto (PMDB).

Deixe Uma Resposta