A força de Valadares Filho

0

Quando começaram as conversas sobre candidaturas majoritárias o deputado federal Valadares Filho (PSB) caminhava para ser o candidato a vice-governador de Eduardo Amorim (PSDB). Os desentendimentos políticos entre o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) e o deputado federal André Moura (PSC) acabaram impedindo essa composição.

Com isso, o PSB bateu o martelo pela candidatura de Valadares Filho ao governo. Conseguiu o apoio do diretório nacional do partido e partiu para as composições políticas.

Poucos acreditavam que Valadares Filho deixaria a quase certeza de uma reeleição para registrar sua candidatura a governador, tendo seu pai Valadares como candidato a reeleição de senador.

Quando isso ocorreu, só se falava que ele não teria grupo político para tocar a candidatura de governador. Que a eleição estaria polarizada entre o governador Belivaldo Chagas (PSD) e o senador Eduardo Amorim (PSDB), que tinham um número significativo de prefeitos e parlamentares apoiando seus nomes e um exército para ir para as ruas pedir votos.

Falou-se também que a chapa era familiar e que o povo não aceitaria pai e filho disputando o governo e o senado.

Valadares Filho não deve ter hoje mais de cinco prefeitos apoiando sua candidatura a governador e não dispõe da estrutura da máquina pública.  Tem pouco mais de 2 minutos no programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão, que corresponde ao menor tempo que seus dois principais adversários.

Apesar de todo esse cenário adverso, a 23 dias das eleições o que se ver hoje é Valadares Filho liderando todas às pesquisas de intenções de votos, com Eduardo e Belivaldo vindo atrás. E Valadares pai liderando, com certa folga, as intenções de votos para o senado.

Lideranças políticas veteranas não estão conseguindo entender como isso é possível. Uma delas disse estar surpreso como um candidato majoritário pode se manter na liderança das pesquisas sem estrutura partidária. Não só o candidato a governador como o pai candidato a senador.

Agora é aguardar o dia 7 de outubro para sabermos se esse fenômeno vai se manter, como parece, com a abertura das urnas. A partir do dia 20 deste mês, quando se afunila o prazo para o dia das eleições, o cenário político deve está mais claro.

Vamos esperar para ver…

Deixe Uma Resposta