Prato cheio para oposição

0

Os aracajuanos viveram ontem um dia  de grande transtorno com as chuvas  que caíram desde a noite da quinta-feira na capital sergipana, se estendendo pela madrugada e por toda a sexta-feira. Ruas alagadas, engarrafamentos, semáforos sem funcionar, carros quebrados e buracos foram suficientes para o congestionamento no trânsito da cidade.

Segundo a Defesa Civil, choveu 240 milímetros na capital, sendo 140 mm em 24h e 100 mm em 12h. Para o alagamento das ruas de Aracaju basta chover  entre 35 mm e 40 mm.

De acordo com o Centro de Meteorologia, a média de chuva para o mês de junho é de 230 mm. Ou seja, em 36h choveu na capital sergipana mais que a média de chuva prevista para este mês.

O transtorno instalado na cidade levou o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) a se reunir no início da manhã de ontem com o Gabinete de Crise, para discutir a ampliação do trabalho de enfrentamento aos efeitos das chuvas em Aracaju.

Foi determinada a ampliação do número de equipes das empresas municipais de Obras (Emurb) e Serviços Urbanos (Emsurb), que trabalham na desobstrução das bocas de lobo e rede de drenagem, no recolhimento de entulhos e árvores e na limpeza dos canais, ruas e avenidas.

Ficou estabelecido ainda que a Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT) enviaria agentes para as áreas engarrafadas e com alagamentos, além de aumentar o número de profissionais da Defesa Civil e da Assistência Social em atuação no monitoramento das áreas de risco.

O caos vivido ontem pela população da capital foi um prato cheio para a oposição. Nas redes sociais, o prefeito foi bombardeado. Um vídeo mostrando que a cidade parou e ele dançando ao som do refrão “volta Edvaldo” viralizou.

Entre os que repassaram o vídeo pelo WhatsApp o vereador Elber Batalha (PSB) e o ex-deputado federal João Fontes.

Além do vídeo com Edvaldo, choveu nas redes sociais fotos e vídeos sobre os alagamentos, enchentes, carros quebrados e nos buracos. O prefeito foi responsabilizado por ter passado 15 dias de férias na Europa e deixado à cidade “abandonada”.

Trocando em miúdos, o transtorno da população com as chuvas serviu para a população e oposição crucificar o prefeito, que é candidato a reeleição em 2020…

Voltando ao ataque 1

Do ex-deputado federal e ex-candidato a prefeito de Aracaju, Valadares Filho (PSB), criticando o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) sobre os transtornos da população com as chuvas: “Aracaju continua vivendo o símbolo da ineficiência, com uma gestão cansada e que não consegue resolver os problemas corriqueiros de anos e anos. Edvaldo é o homem público que na história mais tempo governou a nossa capital, completando quase 12 anos como prefeito”.

Voltando ao ataque 2

Prossegue Valadares Filho em postagem no twetter: “Sem planejamentos na preparação para o período de chuvas, com obras paralisadas e os serviços da saúde, educação, transporte, coleta de lixo vivendo a mesma falta de gestão de sempre”.

Voltando ao ataque 3

Finaliza: “O prefeito Edvaldo nunca esteve preparado para um modelo administrativo inovador, criativo, moderno e que tivesse a marca da eficiência. Com essa mesmice, infelizmente, Aracaju não tem conseguido sair do lugar”.

Convenção 1

Na próxima segunda-feira o PSD (Partido Social Democrático) realiza a sua Convenção Estadual. O evento ocorrerá na sede da legenda, no Bairro Jardins, das 9h às 12h.

Convenção 2

Já está consensuado que o deputado estadual Jeferson Andrade continuará como presidente estadual do PSD, tendo como vice-presidente o deputado federal Fábio Mitidieri. O governador Belivaldo Chagas será o presidente de honra da legenda. Fábio permanece, também, como presidente do Diretório de Aracaju.

Troca de partido

Segundo uma fonte, o deputado estadual Zezinho Guimarães quer trocar o MDB pelo PL, antigo PR. Como a coluna já divulgou, o presidente estadual do MDB, deputado federal Fábio Reis, já disse que só está aguardando o parlamentar pedir desfiliação que concederá sem qualquer problema.

O risco

Vale lembrar que janela partidária para deputado mudar de legenda somente em 2022, para que não corra risco de perda de mandato por infidelidade partidária. Mesmo que o partido se comprometa a não pedir a cassação do mandato, o Ministério Público Eleitoral pode fazer isso, de acordo com a legislação eleitoral em vigor no país.

Futuros emedebistas

O MDB, sob o comando no estado dos irmãos Fábio Reis e Sérgio Reis, está preparando uma festa de filiação ao partido ainda neste mês de junho.  Entre os novos filiados o vice-prefeito da Barra dos Coqueiros, Alysson Souza, que assumirá o comando do partido no município, devendo ser candidato a prefeito em 2020, e Edna Scotti, ex-vice prefeita de Pacatuba.

A carta 1

A polêmica carta pública dos governadores divulgada anteontem visando pressionar os deputados federais e senadores a manter estados e municípios na reforma da Previdência deverá ser entregue formalmente ao Congresso Nacional na próxima terça-feira, após reunião do Fórum dos Governadores, que vai discutir novamente a situação dos Estados na reforma da Previdência.  Isso porque, a primeira versão da carta, apoiada por apenas 10 governadores, repudiava à retirada de estados e municípios da PEC que tramita no Congresso.

A carta 2

Após repercussão negativa, tanto de parlamentares quanto de alguns governadores, pelo tom ríspido”, “elevado”, “de cobrança excessiva” uma outra, mais amena, saiu no fim da tarde da quinta-feira, assinada por 25 governadores, inclusive Belivaldo Chagas (PSD).

A carta 3

Por fim, os nordestinos também fizeram uma carta própria, apontando os pontos de maior resistência [o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e aposentadoria rural]e só no fim falando na necessidade de manter estados e municípios na reforma.  “Entendemos, além disso, que a retirada dos estados da reforma e tratamentos diferenciados para outras categorias profissionais representam o abandono da questão previdenciária à própria sorte, como se o problema não fosse de todo o Brasil e de todos os brasileiros”, frisa a carta.

O receio

Parlamentares estão relutantes em estender a reforma da previdência para estados e municípios pelo receio de desgaste político em seus estados. Eles querem que governadores e prefeitos façam a sua própria reforma da previdência.

A favor 1

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) disse ontem à coluna ser a favor que estados e municípios sejam incluídos na reforma previdenciária como pleiteiam governadores. “Não faz sentido fazer uma reforma da Previdência só para salvar a União, abandonando estados e municípios. Não faço política pequena, tem de pensar grande, beneficiando estados e municípios” entende.

A favor 2

Ressalta Fábio que na reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro ele é contra apenas alguns pontos: Benefício de Prestação Continuada (BPC), aposentadoria rural, abono salarial e capitalização previdenciária. “Esses jabutis precisam ser tirados”, frisou.

Ponto de vista 1

Ontem, durante evento no Sescon (Sindicato de Escritórios de Contabilidade), em São Paulo, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse que a discussão para retirar estados e municípios da reforma da Previdência faz parte do processo político. Disse que depende de entendimento de parlamentares de que governadores precisam defender junto as suas assembleias estaduais seu apoio às mudanças.

Ponto de vista 2

Marinho citou o caso dos governadores do Maranhão e do Rio Grande do Norte, que se posicionaram de forma contrária à reforma da Previdência. Os dois não assinaram a carta que deve ser entregue ao Congresso Nacional na próxima terça-feira.

Veja essa …

O maior jornal francês, o Le Monde, publicou um artigo dizendo que o Brasil, governador pelo presidente Jair Bolsonaro, corre o risco de virar uma “idiocracia”. A publicação avalia o nível intelectual de Bolsonaro e compara a situação do país ao filme “Idiocracy”, comédia que mostra um futuro em que os Estados Unidos seriam um país dominado pela ignorância. O artigo cita as ações do presidente com relação a cultura, as ciências sociais e humanas, cortando orçamentos universitários; a sua postura nas redes sociais; as polêmicas envolvendo os filhos e o guru do governo, Olavo de Carvalho.

Curtas

Do prefeito Edvaldo Nogueira ontem à noite sobre as chuvas: “O volume de chuvas foi muito alto, o que gerou muitos transtornos. Choveu em 24 horas mais da metade do que era previsto para junho. Mas a Prefeitura trabalhou desde o início para minimizar os efeitos dos alagamentos e intensificou as ações ao longo do dia”. 

Disse ainda: “Um dado importante é que os canais não alagaram, o que mostrou que nosso trabalho preventivo de limpeza, foi eficiente. Equipes da Emsurb, Emurb, Defesa Civil, Assistência Social e SMTT atuaram de maneira coordenada para que a cidade pudesse lidar com este momento. Foram 800 pessoas trabalhando para enfrentar os efeitos das chuvas, aos quais agradeço muito. Mas a gente continuará em alerta durante o final de semana, uma vez que há previsão de mais chuvas”.

Na próxima terça-feira, na Assembleia Legislativa, ocorrerá Audiência Pública com o tema “Criança não deve trabalhar, infância é para sonhar”. De iniciativa do deputado estadual Iran Barbosa (PT), o evento ocorrerá das 14h às 17h30. 

O deputado federal Laércio Oliveira (PP) assumiu o cargo de primeiro secretário da Frente Parlamentar em Defesa do Pescado. O parlamentar vai trabalhar na construção de uma agenda legislativa para incentivar o crescimento do setor no país e também defender a conclusão das obras dos terminais pesqueiros, especialmente o de Sergipe.

A coluna pede desculpas ao leitor pelos vários erros na edição da sexta-feira, 7, provocados por problemas no não salvamento do texto revisado e editado. 

 

O presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (MDB), participou ontem, em Salvador, de reunião do colegiado dos presidentes das Assembleias do Nordeste. Na pauta, ter uma posição unificada em relação à crise econômica, reforma da Previdência, preços das passagens aéreas e  Novo Pacto Federativo.

Luciano comemora o fato do colegiado ter conquistado uma grande vitória para os governadores do Nordeste: autorização para o Banco do Nordeste liberar 30% do seu principal fundo de investimentos para investir na infraestrutura do estado. Diz que levou essa ideia após dialogar com o governador Belivaldo Chagas e que essa medida está para ser autorizada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O próximo encontro será no dia 2 de agosto, em Aracaju.

Deixe Uma Resposta